26.11.04

Composição Ex. 1 - sensorial

O meu primeiro exercício de escrita, num blog! O peso de ser o primeiro, para alem de estar de olhos fechados e às escuras. De repente senti-me de novo na primeira classe. Insegura e ter que enfrentar uma pequena multidão. Tal como agora:tudo se passava em torno do meu pequeno e grande mundo. Este é sem dúvida um universo que mal conheço mas que tem uma dimensão para lá da minha imaginação. E agora, de olhos fechados, na paz do meu quarto, decido escrevinhar umas linhas que nem eu própria sei se as vou conseguir decifrar, pois escrever de olhos fechados não é coisa q se faça todos os dias. Decido começar este desafio no meu quarto por ser o único lugar onde poderei experimentar todas as sensações que me apetecer sem ser interrompida. Aqui partilho comigo o dia: as gargalhadas, as lembranças, o meu humor, a dor, pormenores. No escuro do meu quarto sinto um som pouco agradável que não consigo traduzir para o papel. Talvez seja o som do silêncio. Um som agudo que me trespassa o ouvido e que só vai passar quando mergulhar no meu sono. Apesar disso sinto paz, quase celestial. De olhos fechados, o único desconforto é não ter a percepção do fim da folha o que me leva a pensar que a qualquer momento manche o lençol de algodão que me tapa o corpo. O relógio da sala acabou de tocar, veio quebrar por segundos o tal zumbido irritante presente no meu silêncio. Também o ruído do aquecedor a ligar veio desviar a minha paz. Antes de me deitar passei um creme de pés, da body shop, nas mãos (o que estava ao alcance). Cheira levemente a ervas. E é esse o aroma que inalo enquanto a caneta borra o lençol, o som do aquecedor abafa o som do meu silêncio depois do relógio ter badalado as horas que entendeu. Acendo agora a luz do abajour, à minha direita e surpreendo-me ao ver as linhas todas tortas, letras por cima umas das outras e uma pequena mancha verde no meu lençol. Cerro o lábio inferior com os dentes...e sorrio.

M.L.

Sem comentários: